Justiça Federal determina suspensão das obras de loteamento à beira da Lagoa Pequena

Aprovado pela FATMA e Prefeitura de Florianópolis, um empreendimento de 114 lotes chamado ''Jardim Ilha da Maiorca'' estava sendo construído em área comprovada de restinga e um dos únicos corredores ecológicos (senão o único) de ligação entre as dunas do Campeche e o maciço da Costeira e Morro do Lampião, colocando em risco o equilíbrio ambiental da região.

Alencar Deck Vigano fez a denúncia em nome da AMOCAM - Associação de Moradores do Campeche, e nesta segunda-feira (23) o juiz Marcelo Krás Borges acatou o pedido e determinou a paralisação imediata das obras do loteamento em questão.

Esta ação foi proposta acatando o pedido de vários moradores do bairro, consternados com a destruição de um dos únicos pontos de pouso e reprodução de aves, e passagem obrigatória de animais que fazem o percurso entre o ecossistema da Lagoa Pequena, dunas do Campeche e o Maciço da Costeira. A denúncia foi baseada na legislação vigente e no competente trabalho da geógrafa Talita Góes, apresentado como dissertação de Mestrado na UFSC.

Parabenizamos à AMOCAM e moradores da região pelo esforço em prol de um bairro melhor, assim como à equipe de advogados que ajudaram no caso.

Em caso de descumprimento desta ação judicial, qualquer movimentação na obra deve ser acionado o 190.

Fonte: AMOCAM - Associação de Moradores do Campeche.