Escola Livre de Música no Campeche tem 262 vagas

A música é muito mais do que um simples barulho solto pelo ar, vai além da arte, é um aprendizado, uma inspiração para a vida. Seja qual for o seu estilo, não é bom colocar um som para tocar naqueles momentos que você está triste? Ou mesmo os momentos de felicidade não se tornam mais alegres em meio às ondas sonoras? E imagine se você for o autor destas notas? Isso mesmo, a música tocada por você, que nasce por entre os seus dedos e aflora através de sua voz. É isso que a Escola Livre de Música proporciona.

Por isso, fomos até a Unidade Campeche, que está com 262 vagas abertas para novos cursos, bater um papo com Airton Perrone, Diretor da Escola. Natural de Florianópolis, Perrone estudou Artes Plásticas e é pós-graduado na Suíça em Gerenciamento de Cultura, onde também trabalhou com projetos sociais e cursos técnicos. Em sua volta para Santa Catarina, além de outros projetos, dirigiu por cinco anos uma Escola de Música na Lagoa, a Sol da Terra.

Foi então que, com a mudança na Prefeitura, a Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes se interessou pelo espaço Simpozio – onde funciona a Escola hoje e que antes Perrone atuava em outro projeto – e nasceu a parceria que deu origem à Unidade da Escola Livre de Música do Campeche. As vagas estão abertas para três turmas: Musicalização; Instrumentos – Ciclo Iniciante; e Instrumentos – Ciclo Intermediário.

“A música é uma ciência e uma arte, uma filosofia, ela é uma matemática, uma física, é uma coisa prazerosa. É muito complexa, muito simples, muito agregadora. Ela desperta na criança uma curiosidade que necessita certa concentração, então, através deste prazer criado pela arte, você precisa se concentrar, usar a inteligência. É preciso estudar, repetir algumas coisas para poder aprender, passar de um estágio para o outro. Então a música, como um processo de desenvolvimento, em qualquer faixa etária, é super importante quando a pessoa se sente dentro de um universo que está fazendo bem para ela e ao mesmo tempo está aprendendo. Este aprendizado, que às vezes pode ser um pouco árduo, tem um resultado prazeroso e essa é a diferença da arte em si. A música é uma forma física ou matemática que você canta. São dois fatores: resolver esta equação, você conseguir decifrar o código; e cantar este código. E este cantar vem de dentro, então tem muito a ver com a alma da pessoa, e isso traz uma evolução espiritual acima de tudo”, explicou Perrone.          

Confira abaixo os cursos e suas características:

Musicalização

Curso com duração de dois anos, nivelados por faixa etária:

 

- Alunos com idade entre seis e nove anos;

- Alunos com idade entre dez e doze anos;

- Alunos com idade entre treze e dezessete anos;

- Alunos com idade entre 18 e 60 anos;

- Alunos com idade superior a 60 anos.

 

Instrumentos – Ciclo Iniciante

Curso com duração de um ano:

 

- Alunos com idade igual ou superior a 13 anos, iniciantes nos seguintes instrumentos: bandolim, canto, cavaquinho, guitarra, percussão, violino, viola (de arco) e violão.

- Destinado a candidatos que se encontram em fase inicial e desejam se preparar para o ingresso no ciclo intermediário.

- Faz-se necessário que o candidato possua o seu próprio instrumento e consiga executá-lo ao ponto de tocar uma música simples.

 

Instrumentos – Ciclo Intermediário

Curso com duração de três anos:

 

- Alunos com idade igual ou superior a 13 anos, iniciados nos seguintes instrumentos: bandolim, canto, cavaquinho, guitarra, percussão, violino, viola (de arco) e violão.

- Curso profissionalizante com carga horária mínima de 5 h/aula semana.

 

Inscrições: Podem ser feitas até o dia 18 de dezembro de 2015, das 9h às 12h e das 14h às 18h de segunda a sexta-feira, na sede da Escola Livre de Música – Núcleo Campeche (Rua Huberto Rohden, nº 274 - Campeche).

Clique aqui para acessar editais e formulários da seleção! *As vagas ofertadas serão ocupadas, preferencialmente, por candidatos de baixa renda, segundo critérios socioeconômicos.

 

Da Redação DuCampeche