Corrente de retorno causa dois afogamentos no Pico da Cruz

Corrente de retorno causa dois afogamentos no Pico da Cruz

Na tarde desse domingo (8), duas pessoas foram vítimas de afogamento causado por uma corrente de retorno, no Pico da Cruz.

Após minutos de pânico, as duas vítimas foram resgatadas com a ajuda dos surfistas da vila, salva-vidas e àguia da PMSC. Um deles foi retirado da água pelos Guarda Vidas e transportado até o Hospital Universitário pelo Águia 02, onde precisou ficar em observação, mas recebeu alta no mesmo dia.

É indispensável que banhistas observem o mar antes de entrar, e fiquem atentos aos espaços entre as ondas, a corrente de retorno, uma vala longa e estreita de correnteza que pode arrastar uma ou mais pessoas para o alto-mar em questão de segundos.

Como reconhecer uma corrente de retorno

- Água marrom e descolorada, devido à agitação da areia do fundo, causada pelo retorno das águas;

- Água com tonalidade mais escura, devido à maior profundidade, sendo atrativas para banhistas desavisados;

- Água mais fria após a linha de arrebentação, significando o retorno de águas mais profundas;

- Ondas quebram com menor frequência ou nem chegam a quebrar, devido ao retorno das águas e à maior profundidade;

- Local onde ocorre a junção de duas ondas provindas de sentidos opostos;

- Local por onde o surfista experiente geralmente entra no mar;

- Nas marés baixas, formam ondas do tipo buraco, alimentadas pela água em seu retorno;

- Pequenas ondulações na superfície da água, causando um rebuliço, em virtude da água em movimento (pescoço da vala);

- Espuma e mancha de sedimentos na superfície, além da arrebentação, onde a vala perde a sua força (cabeça da vala);

- Ocupação de uma faixa maior de areia, devido ao maior volume de água, provocando uma sinuosidade ao longo da praia (boca da vala);

Como sair de uma corrente de retorno:

1 – Tente manter seus pés no chão o máximo possível ao nadar em lugares com condições de surf. As correntes de retorno podem acontecer em qualquer água salgada ou doce onde haja condições de surf (ondas quebrando). Manter seus pés firmes no chão do mar vai ajudar a evitar ser levado pela corrente.

2 – Mantenha a calma se uma corrente de retorno começar a te levar para longe da costa. Se você for pego por uma corrente, provavelmente sua primeira reação será entrar em pânico. Não se preocupe, você pode escapar da corrente, mas você precisa se manter são. Entenda que a corrente não deve te jogar para baixo dágua; ela só vai te afastar da costa.

3 – Se possível, tente recuperar a firmeza com os pés. Se a corrente for relativamente fraca e você estiver no raso, você deve conseguir tocar os pés no fundo e evitar ser carregado para longe. Se você não puder encostar no chão, não lute contra a corrente. Vítimas de correntes de retorno se afogam devido à exaustão de lutar contra ela. Conserve sua energia para nadar metodicamente ou boiar.

4 – Peça ajuda imediatamente se você não souber nadar bem. Correntes de retorno são especialmente perigosas para quem não sabe nadar ou não nada muito bem. Se for seu caso, chame a atenção de um salva-vidas ou qualquer outra pessoa, agitando seus braços e gritando por ajuda.

5 – Nade paralelamente em direção à costa, para sair da corrente. Tente boiar de costas ou andar de lado se você não puder nadar para fora da corrente. Se você não puder ou souber nadar, ou ficar cansado antes de conseguir sair da corrente, conserve sua energia boiando. Continue a sinalizar pedindo ajuda se houver pessoas por perto.Se você estiver sozinho, relaxe o corpo e boie até ter energia para continuar nadando. As correntes de retorno normalmente perdem a força depois de 45-90m longe da costa, então, eventualmente, você não será mais puxado para o mar aberto.

6 - Nade em direção à costa depois de escapar da corrente. Quando estiver fora da corrente, seja por ter escapado pelo lado ou porque ela perdeu a força, volte para a costa. Geralmente é uma boa ideia nadar na diagonal, pois se você nadar em linha reta pode acabar sendo pego pela corrente novamente.

Redação DuCampeche

Corrente de retorno causa dois afogamentos no Pico da Cruz